Pensamento Interativo

O digital invadiu o real:
a palavra da vez é integração.

Você já deve ter ouvido falar da Gina Indelicada, a Fan Page que em menos de duas semanas alcançou uma marca de mais de 1 milhão de fãs no Facebook. O assunto já deu muito o que falar, mas o que não sai da boca do povo agora é o possível plágio de conteúdo.

Tuiteiros, blogueiros e outras figuras da social media alegam e provam em alguns casos que muitas das piadas usadas pela Gina são copiadas da internet. O sentimento de revolta se alastrou e apareceram inúmeros autores “originais” das citações, até mesmo uma nova página, Gina – A Kibadora Indelicada, foi criada.

Então tá. Querem nos fazer engolir que o estudate criador da Gina é um copião safado. E os “donos” das piadas, copiaram de quem? Porque piada e um negócio que tá aí há séculos, não dá pra medir quem é o dono da mesma.

O cara que deu “vida” à Gina teve uma grande sacada, executou a ideia de uma forma até então inédita, na medida do possível, e obteve êxito. Não há mistério. O problema é que as coisas hoje em dia estão muito superestimadas. Alçaram o garoto ao status de gênio (não é), para depois jogar lá embaixo e dizer que não presta.

Não é por aí.  Não se pode tirar o mérito da grande sacada que ele teve.

Piada de tuiteiro agora tem direito autoral? Isso sim é uma grande piada.

Quem escreveu:

Juliana Diniz

Juliana Diniz

Designer de formação e amante de fotografia e cores. Pisciana empreendedora, que enxergou um futuro promissor no mercado de mídia interativa. Como mãe do Tomtom, se encontrou no universo infantil e está revivendo sua infância. Adora consumir cultura em todas as suas formas: seja na música, artes, teatro, cinema e/ou seriados, como The Big Bang Theory.

Veja todos os posts de Juliana Diniz

Comente

Comentários